Alexandre, possivelmente por Apeles

Alexandre, possivelmente por Apeles
A natureza polêmica e controvertida da filosofia cética ao longo da história da filosofia é, ao menos em parte, resultado da ambiguidade e imprecisão com que esse termo é continuamente mobilizado. Já Sexto Empírico, médico e filósofo do início da era cristã, principal fonte do ceticismo pirrônico hoje restante, insiste no modo como as usuais “refutações” da filosofia cética baseiam-se numa compreensão precária do que eles disseram. Se a sua retomada no período do Renascimento, como diz Richard Popkin, contribuiu decisivamente para a gestação da assim chamada filosofia moderna, as controvérsias e mal-entendidos apenas se multiplicaram. Não apenas filósofos explicitamente simpáticos ao ceticismo – como Montaigne, Gassendi, Bayle e Hume – o reconstruíram de modos singulares e diversos, como diversos daqueles que pretenderam refutá-lo – como Berkeley ou Kant – são tributários dessa filosofia num grau que por vezes eles mesmos parecem não ter reconhecido integralmente, o que é seguramente muito mais verdadeiro a respeito das leituras usuais dessas filosofias. O objetivo do grupo “Questões sobre a História do Ceticismo” é o de formar e integrar pesquisadores interessados no exame dos contornos problemáticos e desconhecidos da “tradição cética” e de suas consequências. Isso abrange tanto o estudo das diversas versões de ceticismo historicamente dadas, em diversos de seus aspectos: epistemológicos, científicos, morais, políticos e literários, e mesmo a maneira como problematiza radicalmente a própria natureza da filosofia, como suas repercussões diversas ao longo da história da filosofia, inclusive e sobretudo na rejeição do ceticismo.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Colóquio "Modos de Vida", 1 a 4 de dezembro de 2015

VII Simpósio Antigos e Modernos: “Modos de vida”
UFPR – 01 a 04 de dezembro de 2015
 Programação


Dia 01/12 (3ª-feira)

10h00 –12h00 - Conferência de abertura:
A biografia antiga como gênero literário
Prof.ª Dr.ª Maria Aparecida de Oliveira (UsP)


14h00 – 16h00 - Mesa-redonda 1: Modos de vida: viver os afetos
Prof.ª Dr.ª Maria Rita César (UFPR): Estética da existência, Feminismo e perfomance
Prof.ª Dr.ª Renata Senna Garraffoni (DEHIS/UFPR):  Dos modos de vida nas paredes de Pompeia
Prof. Dr. Clóvis Gruner (DEHIS/UFPR): As duas vidas de Kindermann e Papst: histórias da prisão na imprensa e na literatura curitibanas
Prof.ª Ms. Irene Christina Boschiero (UFPR): Viver amando: um conselho elegíaco a ser considerado

16h30min – 18h30min - -Mini-curso: Modos de vida de poetas e filósofos: 1) O modo de vida estoico: exílio e morte social em Sêneca
Prof.ª Dr.ª Luciane Munhoz de Omena  (Universidade Federal de Goiás)


Dia 02/12 (4ª-feira)

10h– 12h00 - Mesa-redonda 2: Modos de vida: biografia e autobiografia
Prof.ª Dr.ª Anamaria Filizola (UFPR): O livro de Agustina, uma autobiografia em três tempos
Prof. Dr. Walter Lima Torres (DELEM/UFPR):  Entre a representação e a festa: a figura dionisíaca de Zé Celso Martinez Correa no teatro brasileiro
Prof.ª Dr.ª Sarah Diva da Silva Ipiranga (UECE): Confissões poéticas: memória e literatura
Prof. Dr. Pedro Ipiranga Júnior (DEPAC-UFPR): Bíos antigo e hibridismo

14h00 – 16h00 – Sessão de Comunicações:
Lorrayne Colares (mestrado-Filosofia-UnB): Comentários sobre as relações entre discurso filosófico e modo de vida na Antiguidade greco-romana segundo Pierre Hadot; Cassiana Lopes Stephan (mestrado-Filosofia-UFPR/ CAPES): Vida de artista: atitude universal x criatividade crítica; Geisa Mueller (Doutorado/PG-UFPR-Capes): Thomas Bernhard e o modo de viver na direção oposta. Leonardo Fischer (Letras/ bolsista UFPRTN): O modo de vida de Evágoras como governante ideal.

16h30min – 18h30min - Mini-curso: Modos de vida de poetas e filósofos
Prof. Dr. Luiz Eva  (DEFI-UFPR): 2) Modo de vida cético
Prof. Dr. Guilherme Gontijo Flores (DEPAC-UFPR): 3) Modo de vida elegíaco: Dentro e fora da moral



Dia 03/12 (5ª-feira)

10h00 – 12h00 – Mesa-redonda 3: modos de vida: narrar a si como ação política ou como refiguracão do si mesmo
Prof.ª Dr.ª Loraine de Fátima Oliveira (UnB/UFRGS): A virgindade de Hipácia de Alexandria
Prof. Dr. Bernardo Guadalupe Brandão (DEPAC/UFPR): Plotino e a filosofia como encantamento
Prof. Dr. Leandro Neves Cardim (DEFI/UFPR): Da realização dos valores em João Guimarães Rosa
Prof.ª Ms. Maria Edith Maroca de Avelar Rivelli de Oliveira (UFOP) : O diário de Ferdinand Denis: narrativa autobiográfica e consciência histórica moderna

14h- 16h - Sessão de Comunicações:
Alexandre Cozer (História, bolsista CNPQ-Pibic/UFPR): A mulher e o falo: práticas sexuais femininas na Priapeia; Ingrid Cristini Kroich Frandji (Mestrado–PPGHIS/UFPR): Violência contra mulheres no Egito Romano; Miguel K. Drigo (História, bolsista TN–Tesouro Nacional/UFPR): As mulheres e os ritos funerários nos lécitos atenienses do século V a.C.; Natascha A. Eggers (mestrado, bolsista CNPq/UFPR): Viagens e antiquarismo no início do século XIX: o Egito e sua cultura material antiga por Giovanni e Sarah Belzoni; Gabriel Augusto Soares Lima da Trindade (História-voluntário, IC/UFPR): Memórias e Sentimentos em lápides romanas antigas de regiões anfiteatrais.

16h30min – 18h30min - Mini-curso: Modos de vida de poetas e filósofos
Prof. Dr. Alessandro Rolim de Moura  (DEPAC-UFPR): 4) Modo de vida bucólico
Prof.ª Dr.ª Joseane Prezotto (DEPAC/UFPR): 5) Modo de vida ateniense: tragédia e cidadania no período clássico

Dia 04/12 (6ª-feira)

10h00min – 12h00 - Mesa-redonda 4:  modos de vida: crer é seguir um percurso
Prof. Ms. Stenio José Paulino Soares (UNESPAR/USP): Encruzilhada poética: as religiões afro-brasileiras e sua importância social e política
Prof. Dr. César Augusto Baldi (NEP-UnB): Islã, etnocentrismo e descolonização: o repensar das religiões
Prof.ª Dr.ª  Karina Belotti (DEHIS/UFPR): Jesus C.E.O.: liderança e sucesso na mídia evangélica
Prof. Dr. Rafael Faraco Benthien  (DEHIS/UFPR): Modernas percepções francesas acerca das antigas religiões gregas: das “sobrevivências” do totemismo às “margens” do mundo indo-europeu

14h00min – 16h15min - Sessão de Comunicações:
Luís Fernando Costa Cavalheiro (Doutorado-História/bolsista Capes/UFPR): Entre a doutrina e o combate: os usos dos Santos Patriarcas nos sermões de autos-de-fé da Inquisição Portuguesa (1612-1640); Bárbara Silva Teles de Menezes (Letras/UECE): A selva da memória; Sávio Alencar de Lima Lopes (Letras/UECE): “Muito documental”: Ana Cristina Cesar missivista. Estêvão Cruz (Doutorado-Filosofia/UFRJ):“A Vida de Secundus”: uma análise da caracterização do gênero Bios e da moderna biografia; Débora Mariz (Doutorado-Filosofia Contemporânea/UFMG): O que é filosofar para Simone Weil?

16h30 – 18h00 Conferência/Encerramento
Simone Weil e a filosofia como transformação de si
Prof. Dr. Fernando Rey Puente (UFMG)


18h00 – 18h30 Concerto/Apresentação