Alexandre, possivelmente por Apeles

Alexandre, possivelmente por Apeles
A natureza polêmica e controvertida da filosofia cética ao longo da história da filosofia é, ao menos em parte, resultado da ambiguidade e imprecisão com que esse termo é continuamente mobilizado. Já Sexto Empírico, médico e filósofo do início da era cristã, principal fonte do ceticismo pirrônico hoje restante, insiste no modo como as usuais “refutações” da filosofia cética baseiam-se numa compreensão precária do que eles disseram. Se a sua retomada no período do Renascimento, como diz Richard Popkin, contribuiu decisivamente para a gestação da assim chamada filosofia moderna, as controvérsias e mal-entendidos apenas se multiplicaram. Não apenas filósofos explicitamente simpáticos ao ceticismo – como Montaigne, Gassendi, Bayle e Hume – o reconstruíram de modos singulares e diversos, como diversos daqueles que pretenderam refutá-lo – como Berkeley ou Kant – são tributários dessa filosofia num grau que por vezes eles mesmos parecem não ter reconhecido integralmente, o que é seguramente muito mais verdadeiro a respeito das leituras usuais dessas filosofias. O objetivo do grupo “Questões sobre a História do Ceticismo” é o de formar e integrar pesquisadores interessados no exame dos contornos problemáticos e desconhecidos da “tradição cética” e de suas consequências. Isso abrange tanto o estudo das diversas versões de ceticismo historicamente dadas, em diversos de seus aspectos: epistemológicos, científicos, morais, políticos e literários, e mesmo a maneira como problematiza radicalmente a própria natureza da filosofia, como suas repercussões diversas ao longo da história da filosofia, inclusive e sobretudo na rejeição do ceticismo.

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Minicurso com o professor Danilo Marcondes

O Programa de Pós-Graduação em Filosofia e o Grupo de Estudos “Questões sobre a História do Ceticismo” convidam para o mini-curso com o prof. dr. Danilo Marcondes de Souza Filho (PUC-RJ, UFF)
“Retomada do Ceticismo Antigo no Início do Pensamento Moderno”

Primeiro encontro: 28/06/2016, terça-feira, das 14h15 às 18h00
Local: sala 600 (rua dr. Faivre 405, Edif. d. Pedro II, sexto andar).

Segundo encontro: 29/06/2016, quarta-feira, das 9h00 às 12h30
Local: sala 603 (rua dr. Faivre 405, Edif. d. Pedro II, sexto andar).

O professor Danilo Marcondes de Souza Filho possui graduação em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1975), mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1977) e doutorado em Filosofia - University of St Andrews (1980). Em 2008 foi directeur d’études associé na Maison des Sciences de l’Homme (Paris, França), em 2009 foi visiting researcher na Brown University, Providence, RI, EUA e em 2011 (janeiro-fevereiro) professeur invité na Université de Paris-X. Atualmente é professor associado da Universidade Federal Fluminense (tempo parcial) e professor titular da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Foi presidente da North American Association for the History of the Languages Sciences de 2010-2012. Atua principalmente nos seguintes temas: filosofia da linguagem (pragmática e análise do discurso), história do ceticismo na filosofia moderna, ética aplicada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário